Aos 35 anos, Giovani se diz igual a vinho e projeta futuras São Silvestres

Melhor brasileiro, Giovani sonha com o dia em que será premiado como campeão (foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)

Melhor brasileiro, Giovani sonha com o dia em que será premiado como campeão (foto: Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)

Quarto colocado da São Silvestre, no sábado, Giovani dos Santos ainda não desistiu do sonho de conquistar o título da mais tradicional corrida de rua do País. Nem mesmo a idade – completará 36 anos em 1º de julho – impede o mineiro de Natércia de sonhar com o feito.

“Fiz um bom trabalho neste ano. Estou igual ao vinho: quanto mais velho, melhor fico. Então, espero voltar em 2017, fazendo provas boas e conquistando títulos”, projetou Giovani dos Santos.

Em 2016, o atleta teve altos e baixos. Ficou bastante frustrado ao não participar dos Jogos Olímpicos, lesionado, porém acumulou uma série de vitórias locais, como na Meia Maratona do Rio de Janeiro e na Volta Internacional da Pampulha. Na São Silvestre, tinha a esperança de ser campeão pela primeira vez, porém se mostrou conformado com a quarta posição.

“Espero que tenham gostado da minha prova. Fiz o meu melhor, brigando até o final. Neste ano, foi diferente, porque liderei por muito tempo. Não me escondi dos adversários em nenhum momento. Infelizmente, eles foram mais fortes do que eu na subida da Brigadeiro, onde fiquei um pouco para trás”, lamentou.

O sonho de ser campeão da São Silvestre, portanto, perdura para Giovani dos Santos. “A sensação de ser o melhor brasileiro da prova não significa muito para mim. Trabalho para estar no lugar mais alto do pódio, disputando de igual para igual com os quenianos. A minha hora ainda vai chegar”, sorriu o veterano.